Evento discute políticas públicas e impactos ambientais

Teve início nesta terça-feira (7), no salão do Limoeiro, campus II, a Jornada Acadêmica de Arquitetura e Urbanismo e Engenharia Ambiental da Unoeste. Promovida pelas respectivas graduações, a iniciativa conta com a participação maciça dos alunos. No período da manhã, foram realizadas mesas redondas sobre Áreas Contaminadas, Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) e os seus Respectivos Impactos. À tarde, as discussões abordaram Planejamento Urbano Ambiental e a Forma Humana como Fator de Sustentabilidade, além dos Limites do Projeto Urbano na Conformação dos Lugares. A abertura da atividade teve a apresentação de um stand up comedy, por Bruno Lemes.

“A adesão ao evento atendeu as nossas expectativas, o que permitirá uma interação ímpar entre os futuros arquitetos e engenheiros ambientais com diversos profissionais das áreas. A programação diversificada contempla temas como o planejamento urbano e os novos conceitos de tratamento das cidades, por meio de uma visão ambiental”, explica a coordenadora de Arquitetura e Urbanismo, Sibila Corral de Area Leão Honda.

Sobre as atividades desta terça (7), ela declara que o foco foi voltado para a questão das políticas públicas urbanas e os problemas ambientais neste ambiente que atinge diretamente a sociedade. A Dra. Ana Luiza Spinola expôs sobre Áreas Contaminadas. “Abordei a contaminação dos solos, desde o seu contexto histórico até a maneira como se insere e é abordada no Estado de São Paulo. Futuramente, estes acadêmicos poderão lidar com o tema no dia a dia, sendo assim, é importante que eles possuam um conhecimento prévio do assunto”, revela Ana.

A Dra. Leni Ataíde deu sequência às atividades, falando sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) e os seus Respectivos Impactos. “Instituído pela Lei nº 12.305/10, este plano inédito tem um olhar mais direcionado e uma legislação específica, para tratar a questão dos resíduos, não encarando o material como lixo, mas sim como um bem que pode ser reaproveitado”, comenta. Ela destaca que a norma impõe uma série de obrigações às pessoas inseridas nesta cadeia, que vai desde o fabricante até o consumidor final. “Atualmente, temos uma saturação nas áreas contaminadas e, por isso, é preciso que todos se atentem para a economia verde e para os cuidados com os recursos naturais. É justamente isso que esta política contempla”, termina.

Sibila acrescenta que no período da tarde, os acadêmicos receberam informações sobre os novos conceitos de planejamento das cidades, a preocupação ambiental e as questões habitacionais, que envolvem a sociedade. “Estes assuntos foram apresentados pelos arquitetos, Dr. Glauco Cocozza e Dra. Giovanna Teixeira Damis Vital, ambos da Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais (UFU-MG)”. A coordenadora, que também integra a comissão organizadora, adianta que nesta quarta (8), os universitários contarão com palestras específicas para cada área de atuação. “Na arquitetura, o foco será edificações e as respectivas relações com o meio ambiente, já na área de engenharia ambiental, trataremos sobre o profissional e a sua inserção no mercado”.

O coordenador de Engenharia Ambiental, Ivam Salomão Liboni, declara que a integração das graduações em prol do conhecimento é muito válida. “Esta interdisciplinaridade faz com que os alunos adquiram conhecimentos complementares, tendo a oportunidade de verificar que estes cursos caminham juntos e futuramente podem desenvolver um trabalho em conjunto. Todas as informações repassadas, por meio desta jornada, são pertinentes e fortalecem a formação acadêmica”, pontua.

Rafaela Mussolini cursa o 3º termo de Arquitetura Urbanismo e integra a comissão organizadora do evento. “Sempre gostei de participar destas iniciativas. Vejo que esta atividade é importante não somente para quem está na organização, mas também para aqueles que estão assistindo, porque aprendem de uma maneira diferente. Neste ano, elaboramos uma programação dinâmica e atrativa, além disso, realizamos nos intervalos das apresentações, o sorteio de brindes aos participantes”, diz. Para Vitor Norbiato Florentino, do 7º termo de Engenharia Ambiental, a jornada traz explanações interessantes. “Espero que estas mesas redondas, palestras e o minicurso de perícia ambiental agreguem novos conhecimentos e complementem o embasamento da graduação”

Fonte: https://unoeste.br/site/noticias/2013/5/evento-discute-politicas-publicas-e-impactos-ambientais.htm